sábado, 26 de novembro de 2016

Morreu ontem Fidel Castro

Estou triste. Apesar do que nos têm dito nas escolas e nos noticiários. Cuba é um exemplo monkey entender de um país desenvolvido.

Culturalmente tem inúmeros artistas, músicos, escritores ...

A nível de saúde é uma referência mundial, mesmo com o embargo dos EUA.

Alguns dados retirados da net:
Cuba cuenta con 481 mil 960 trabajadores de la salud: 6.6 por ciento de la población económicamente activa.
Hay un médico por cada 133 habitantes.

Menos del 0,1 por ciento de la población padece de VIH/Sida.

Hay 22 facultades de medicina que han formado más de 78 mil médicos y han colaborado con 100 países del mundo durante los años de Revolución.

Está na hora de repensar tudo rever modelos. Onde estamos hoje, caminhando e vivendo entretidos com bola, novelas, facebooks, unhas de gel e telemóveis ao sabor das grandes corporações e do dinheiro não me parece a mim o caminho mais certo.

Hasta siempre Comandante!





quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Quantos ricos para fazer um pobre?

Há em Portugal mais de mil novos milionários desde o ano passado, segundo um estudo divulgado pelo banco Credit Suisse. Ao todo existem mais de 50 mil pessoas com um património acima de 1 milhão de dólares.

Engraçado também a notícia que o IMI não vai aumentar para casas geridas por fundos de investimento, ou seja mais uma vez a beneficiar quem mais tem.

Isto tudo enquanto continuamos a discutir a bola e a novela e as unhas de gel.





sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Um RAP que não fala de cus nem de mamas... destes gosto!!

I'm from where they overthrow democratic leaders
nor for the people, but for the Wall Street Journal readers...
(...)
700 children died by the end of this song!

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Ya basta!

Eu também sou Marcos contra a globalização!




O EZLN é um grupo indígena com inspirações Zapatistas com sede em Chiapas, o estado mais pobre do México. Incorpora tecnologias modernas como telefones via satélite e Internet como uma maneira de obter a sustentação local e estrangeira. Consideram-se parte do largo movimento de antiglobalização.

Sua voz mais visível, embora não seu líder, porque é um segundo-comandante — todos os comandantes são índios maias — é o subcomandante Marcos. O comunicado abaixo do subcomandante em 28 de março de 1994 explica o porque de esconder os rostos e porque todos os zapatistas dizem que se chamam "Marcos": "Marcos é gay em São Francisco, negro na África do Sul, asiático na Europa, hispânico em San Isidro, anarquista na Espanha, palestino em Israel, indígena nas ruas de San Cristóbal, roqueiro na cidade universitária, judeu na Alemanha, feminista nos partidos políticos, comunista no pós-guerra fria, pacifista na Bósnia, artista sem galeria e sem portfólio, dona de casa num sábado à tarde, jornalista nas páginas anteriores do jornal, mulher no metropolitano depois das 22h, camponês sem terra, editor marginal, operário sem trabalho, médico sem consultório, escritor sem livros e sem leitores e, sobretudo, zapatista no Sudoeste do México. Enfim, Marcos é um ser humano qualquer neste mundo. Marcos é todas as minorias intoleradas, oprimidas, resistindo, exploradas, dizendo ¡Ya basta! Todas as minorias na hora de falar e maiorias na hora de se calar e aguentar. Todos os intolerados buscando uma palavra, sua palavra. Tudo que incomoda o poder e as boas consciências, este é Marcos.

Fonte: Wikipedia