sábado, 23 de agosto de 2014

As olhas da canja

Ricardo Reis contempla as olhas da canja de galinha, acabou por escolher a dieta, obedeceu à sugestão, por ...



Hoje aprendi uma nova palavra ao reler o Ano da morte de Ricardo Reis, um livro do meu mui apreciado Saramago. Não há dúvida que a língua portuguesa é riquíssima e até tem uma palavra para aquelas bolinhas amarelas de gordura que nos aparece na canja se for uma como deve ser. As OLHAS da canja! 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Das minha viagens - Paris - Burgos 2014 - Dia 1 - 30 de Julho - Paris - Chartres

30 Julho 2014 - Dia 1

Saímos tarde da casa do Jean Claude. Atravessar Paris levou mais do que esperávamos. É enorme mas no meio encontramos monumentos preciosos e espaços verdes em abundância.







Pelas 14.30 descansamos em Limours. Ainda faltam uns 40 kms.

 
O nosso primeiro almoço na estrada. Pão com enlatados e um pouco de queijo e fruta.


Chegamos a Chartres pelas 18.30 e ficamos na pousada da Juventude depois de um dia cheio com muita estrada e alguns carros. Espero que a partir daqui melhore. Depois do banho e de um pequeno descanso fomos visitar o centro.



Chartres é Patrimonio Mundial por isso estava com alguma expectativa sobre o que iria encontrar. Não me desiludi. Logo desde que se entra na cidade avistamos a Magnífica Catedral do século XII, e depois quando nos aproximamos é que nos vamos apercebendo da sua imponência e de outros monumentos que a rodeiam. A praça envolvente está repleta de cafés e restaurantes muitíssimo bem decorados e relativamente acessíveis a cerveja é que é caríssima.




Janto um belo de um risoto na praça central com a Catedral ao fundo, magnífico.


A catedral de Notre Damme de Chartres



Cidade linda.



Já tinhamos decidido ir para Portugal em vez de ir para Praga, e também fazer o Caminho de Santiago chegando à fronteira. Acontece que há um caminho que começa em Paris e que passa por Chartres. Deparamo-nos com as placas e com um escritório onde fazem o atendimento aos peregrinos. Amanhã lá iremos e consoante o que nos disserem, iremos começar o Caminho a partir daqui.

Por isso o nosso plano anterior será alterado.

Encontramos marcas do caminho de Santiago e resolvemos começar daqui a nossa caminhada de 1600 kms.


Resumo da jornada.



88.69 kms
Vel. Média 12.8
Vel max 43.9
Duração 6h45m

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Das minha viagens - Paris - Burgos 2014 - Dia 0 - 29 de Julho - Faro - Paris

📍 Dia 0 -  29 de Julho 2014 - Faro - Paris


Saída de Faro 8.15 com tempo nublado. Todas as minhas coisas arrumadas à pressa. Dei aulas no dia anterior e trouxe logo tudo para Faro.



Eu com a minha caixa no Aeroporto de Paris
A caixa da bike não cabia em lado nenhum tive que trazer a carrinha do Barão. A Susana foi levar-nos ao aeroporto. Lá foi outra confusão porque a caixa da bicicleta não cabia em raio x nenhum, depois de a ter pesado. 16 kgs, ainda dava para mais qualquer coisa.

Já em Paris, o meu amigo Benoit foi buscar-nos com a sua carrinha, porque era a única que conseguia transportar a caixa enorme que eu levava. Disse-me que tinha a casa em obras e teve que tirar todas as pedras que tinha lá dentro. A amizade é isto mesmo e vou ficar sempre eternamente agradecido.

Levou-nos a almoçar a um restaurante português em Paris, onde eu vi o maior naco de carne cozinhado da minha vida. Curiosamente havia Sagres  e custava 6 euros :)



O Benoit levou- nos à loja onde o Raúl comprou a bicicleta dele e lá ajudaram-me a montar a minha. Não sofreu muito na viagem apesar de eu estar um pouco receoso. Depois de tudo pronto, toca a pedalar para onde iríamos passar a noite. Logo no primeiro dia chuva. Ainda tivemos que parar debaixo de um prédio e aproveitar para provar as delicatessens dos cafés parisienses. Um bolo e um café. Achei caro para o que era. Realmente aqui em Portugal estamos mal habituados. O nosso café é óptimo e os nosso bolos também. Meus ricos pastéis de nata.

Ficamos a dormir na casa do Jean Claude, um amigo de longa data do Raúl. Gostei muito dele, uma pessoa super trabalhadora, simples e amiga do amigo. Ficamos logo à vontade mesmo depois de termos entupido a casa com as nossas bicicletas. Tem uma casa pequena no centro de Paris, mas muito acolhedora com bom gosto. Fez-me pensar que a minha também poderia estar assim, mais arranjada e mais confortável, mas tenho sempre aquela ideia que a casa é um sitio onde se dorme e que desde que haja espaço para as minha plantas e para o meu colchão onde me sento para ler e fazer ioga para mim está óptimo. No entanto adoro receber os meus amigos e só isso é que me faz pensar em melhorar.









Na casa do Jean Claude com uma mini.



Já com um mapa por cima da mesa delineamos o plano para os dias que se seguem:

Dia 1 - 30 Julho
Paris - Maintenom 77 kms
Ou
Paris - Chartres - 90 kms

Dia 2 - 31 Julho
Chartres - mondoubleu

Dia 3 - 1 Agosto
Mondoubleu - chateu la Valliere

Primeiras coisas que vi que esqueci: a bomba da bicicleta e a tenda!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Para quem gosta de ir à praia e passar o dia sem protector solar...




Já foi o tempo em que o bronzeado era bonito. Hoje quando vejo alguma pessoas demasiado bronzeadas em vez de beleza vejo um misto de falta de informação com a necessidade de parecer bonito!

Não sei até que ponto os infra-vermelhos são realmente capazes de nos dizer a saúde actual da nossa pele, mas não há dúvida que este vídeo mostra-nos a importância do protector solar!

A Disciplina, por Scott Peck

Há quatro técnicas bases para a disciplina, o que contribui para enfrentar construtivamente a dor da resolução de problemas. 

1. O adiamento da gratificação 
2. Assumir da responsabilidade
3. Dedicação à verdade ou realidade
4. Manutenção do equilíbrio. 

A quarta já digo há muito que é importante. Saber viver trata-se muitas das vezes em encontrar o equilíbrio nas coisas que fazemos. SP apresenta-nos mais 3 para além dessas. 

Numa altura em que tudo parece ser tão difícil todas as dicas ajudam.