sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ricardo Araújo Pereira - Economistas e Chimpazés


Notas sobre finanças (e chimpanzés)

Talvez fosse importante que alguém apresentasse Vítor Gaspar a um ser humano
Ricardo Araújo Pereira

Após alguma reflexão sobre o assunto, ocorreu-me que talvez fosse importante que alguém apresentasse Vítor Gaspar a um ser humano.

Podia ser um encontro discreto, a dois, só com um terceiro elemento que começasse por fazer as honras: "Vítor, é o ser humano. Ser humano, é o Vítor." E depois ficavam a sós, a conviver um bocadinho.

Perspicaz como é, o ministro haveria de reparar que, entre o ser humano e um algarismo, há duas ou três diferenças. O ser humano comparece com pouca frequência nas folhas de excel, ao contrário do algarismo. E o algarismo não passa fome nem morre, ao contrário do ser humano.

É raro encontrarmos uma lápide, no cemitério, com a inscrição: "Aqui jaz o algarismo 7. Faleceu na sequência de um engano numa multiplicação. Paz à sua alma." Mal o ministro tivesse percebido bem a diferença entre o ser humano e os números, poderia voltar às suas folhas de cálculo. Admito que se trata de uma experiência inédita, mas gostaria muito de a ver posta em prática.

Houve um tempo em que quem não soubesse de economia estava excluído da discussão política. Felizmente, esse tempo acabou. Os que percebem de economia são os primeiros a errar todos os cálculos, falhar todas as previsões, agravar os problemas que pretendiam resolver.

As propostas de um leigo talvez sejam absurdas, irrealistas e inexequíveis. Não faz mal: as do ministro também são. Estamos todos em pé de igualdade.

A realidade não aprecia economistas. Se um chimpanzé fosse ministro das Finanças, talvez a dívida aumentasse, o desemprego subisse e a recessão se agravasse. Ou seja, ninguém notava.

Como toda a gente, também tenho uma sugestão para reduzir a despesa. Proponho que Portugal venda uma auto-estrada para o Porto. Temos três, e não precisamos de todas. Há-de haver um país que esteja interessado numa auto-estrada para o Porto. Não há nenhuma auto-estrada para o Porto no Canadá, por exemplo. Nem na Noruega. (Eu confirmei estes dados.) São países ricos, aos quais uma auto-estrada para o Porto pode dar jeito. Fica a proposta. Não é a mais absurda que já vi.

P.S.: Alguns leitores atentos tiveram a gentileza de me alertar para o facto de o título da minha última crónica (Meus caros portugiesisch ) não fazer sentido. Em alemão, aquilo não se diz assim, como qualquer pessoa minimamente versada em alemão saberia. Sucede que isso fazia parte da minha estratégia para caricaturar a altivez de Angela Merkel em relação aos portugueses. O objectivo era mostrar que ela é arrogante a ponto de cometer erros básicos, mesmo quando se nos dirige na sua própria língua, por considerar que nós não merecemos mais consideração. Ao contrário do que uma análise superficial poderia indicar, não se tratou de ignorância minha. Não fui à internet traduzir toscamente para alemão o que pretendia dizer, sendo induzido em erro pelo tradutor do Google. Não, não. Nem pensar nisso. Foi um erro extremamente voluntário. Mas agradeço na mesma.



Ler mais: http://visao.sapo.pt/notas-sobre-financas-e-chimpanzes=f699327#ixzz2DhP8qH9a

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Vejam esta reportagem que ganhou um prémio Gazeta


Portugal importa alhos da China, maçãs de Espanha, laranjas de África, carne do Brasil, Açúcar de Cuba. Importa 75% dos cereais que consome e está cada vez mais dependente do exterior para se alimentar.

Quem Semeia Vento - SIC Notícias

No youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=pihoSgedliQ&playnext=1&list=PLDDCD64D9E234C13E&feature=results_main

sábado, 17 de novembro de 2012

As minhas aventuras no xadrez online! Quem é que explica isto?

Depois de ter mais de 1200 pontos, andei numa fase horrível que me levou para abaixo dos 1100. Perco jogos infantilmente! Depois numa serie de 2 jogos ganho a 2 jogadores com mais de 1250! Realmente não há como explicar o xadrez!










Há pessoas boas...


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A teoria da Greve!


Sinceramente não vejo como não trabalhar pode alterar alguma coisa. A situação é crítica mas não vejo como é que não trabalhando estamos a contribuir para algo de mais positivo. Penso que as greves já não se adaptam aos tempos de hoje e tem que haver formas de mostrar o nosso desagrado de outro modo.

Enquanto não houver responsabilização política pelos maus actos cometidos por quem governa, não há volta a dar! Demitem-se de um lado e vão para outro ganhar o mesmo ou mais. Gostava de ver muitos políticos no tribunal acusados de gestão danosa e a prestar contas pelo pobre desempenho que tiveram... Corrijo, no tribunal não, porque não funcionam e eles sabem disso. Antes numa instância externa (recordem o caso Madoff que foi julgado em menos de 6 meses nos EUA, e os responsáveis pelo BPN aí andam a passear-se).. isso sim... para que   os corruptos não ficassem a rir! Imaginem o que seria cada um de nós ir a casa do Primeiro Ministro, em funções e os anteriores a pedir satisfações...

Não há modelo político, seja de esquerda ou de direita que funcione quando é gerido por pessoas corruptas que põem os interesses pessoais e do círculo de amizades à frente dos da nação!! Isto é que é necessário perceber e actuar neste sentido. Não sei se com greves vamos lá... A não ser que aproveitemos o dia para pedir contas aos responsáveis, para que eles não pensem que podem fazer o que quiser!

Pelo menos esta greve uniu uma Europa dividida, disso não há duvida!!


Tempo para rir um pouco... nunca é tempo desperdiçado! :)

O dia começa cedo. A pedalar para o campo




view full image
"O dia começa cedo. A pedalar para o campo. "

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O Homem Duplicado - José Saramago





O Homem Duplicado - José Saramago

Acabei de ler e é de facto um livro excelente, apesar de não ser tão introspectivo quantos outros que já li do Saramago. No entanto é bem melhor que muitos que estão no top de vendas!

Há alguns pontos no entanto que achei sublimes nesta história:
- A relação de Tertuliano, um professor de história à beira da depressão e que vive só, com Maria da Paz é tão bem descrita, que me ajuda a entender também muitas das minhas atitudes!
- A teoria dos subtons, que trata do que realmente as palavras querem dizer consoante o tom que é dita!
- As borras de café, que são o que fica depois de filtrada a palavra dita.
- As conversas com o Senso Comum - .«não se deixe enganar, o senso comum é demasiado comum para ser realmente senso, no fundo não passa de um capítulo da estatística, e o mais vulgarizado de todos.»
Descobri que vai ser adaptado para cinema brevemente, e sinceramente estou muito curiosos para saber como estes temas vão ser abordados, que são no meu ver o ponto forte de Saramago, muito mais que o enredo da história, que no meu ver está também muito boa!

sábado, 10 de novembro de 2012

The Findhorn Ecovillage



Faz algum tempo pensei num projecto destes antes de imaginar que haviam comunidades deste tipo. Curiosamente, numa das minhas leituras deparei-me com esta ecovilage e  pensei que a minha vida numa vila assim faria todo o sentido. Num espaço em que as pessoas se ajudam umas às outras a viver com honestidade, amor e consciência relativamente ao que dizem e fazem, vivendo em sintonia com a Natureza, as crianças vivem desde pequenas os espírito comunitário: cozinham, trabalham no jardim, dançam, cantam, celebram e meditam.

Isto reforça a minha ideia de que é possivel viver com menos coisas das quais consideramos indispensáveis.

Começou como um velho parque de campismo e hoje é um caso de sucesso e um dos centros internacionais de educação de adultos e de transformação pessoal.

O link para o site é este: http://www.findhorn.org/

Quero constituir uma vila assim! Há voluntários??

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Simplicidade





"If one’s life is simple, contentment has to come. Simplicity is extremely important for happiness. Having few desires, feeling satisfied with what you have, is very vital: satisfaction with just enough food, clothing, and shelter to protect yourself from the elements. And finally, there is an intense delight in abandoning faulty states of mind and in cultivating helpful ones in meditation."

Dalai Lama

O Sol





Depois de tanta chuva boa como sabe bem acordar com o sol a bater na cara. Viver no Algarve tem aspectos negativos mas temos que valorizar estes pequenos bombons.

Location:Praceta Teixeira Gomes,Tavira,Portugal

sábado, 3 de novembro de 2012

Palavra do dia : proteiforme no Dicionário de Português

proteiforme: adj. Que muda de forma frequentemente (como Proteu, deus da mitologia grega).

http://www.dicio.com.br/proteiforme/

Mais significados no Dicio.com.br, o Dicionário Online de Português


Sent from my iPad

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Adorei isto... Ary dos Santos no seu melhor...


Há quem diga que as coisas mais belas na vida não são pagas. Para quem duvida e mesmo até quem concorde gostava que ouvisse este poema que é de arrepiar.

As portas que Abril Abriu - Ary dos Santos





Era uma vez um país
onde o pão era contado
onde quem tinha a raiz
tinha o fruto arrecadado
onde quem tinha o dinheiro
tinha o operário algemado
onde suava o ceifeiro
que dormia com o gado
onde tossia o mineiro
em Aljustrel ajustado
onde morria primeiro
quem nascia desgraçado.

Era uma vez um país
de tal maneira explorado
pelos consórcios fabris
pelo mando acumulado
pelas ideias nazis
pelo dinheiro estragado
pelo dobrar da cerviz
pelo trabalho amarrado
que até hoje já se diz
que nos tempos do passado
se chamava esse país
Portugal suicidado.