quarta-feira, 26 de maio de 2010

Livro que se segue... Há quem diga que tem muito a ver comigo... Veremos

Ary dos Santos : Estrela da Tarde

Estrela da Tarde

Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite surgiste na tarde tal rosa tardia


Quando nós nos olhámos tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos unidos ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia


Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza


Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram


Foram noites e noites que numa só noite nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles que à noite amando se deram
E entre os braços da noite de tanto se amarem, vivendo morreram


Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso, se é pranto
É por ti que adormeço e acordo e acordado recordo no canto
Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto
Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto


Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Ora acho que este senhor tem alguma razão...

Diz a teoria económica que os aumentos salariais devem ser proporcionais à produtividade, para que possa haver de facto uma melhoria do poder de compra e da qualidade de vida das pessoas.

A verdade é que até hoje ainda não ouvi falar disso quando da discussão dos aumentos salariais. Os salários têm aumentado sem que hajam aumentos de produtividade que acompanhem.

Tinha que chegar a hora que alguma coisa destas acontecesse... para acertar estas diferenças.

Atenção, não estou a dizer que as pessoas ganham muito... estou sim é que produzem pouco para o que ganham.

Vejam o artigo do Sr. PAUL KRUGMAN no seguinte link: The Euro Trap

Aqui está um prendinha...

É em inglês, mas também agora já há tradutores em todo o lado.

Mas é grátis... Leitura de qualidade a custo zero... Assim não há desculpas!


A DISCOURSE

ON A SUBJECT PROPOSED BY THE ACADEMY OF DIJON:


WHAT IS THE ORIGIN OF INEQUALITY AMONG MEN, 
AND IS IT AUTHORISED BY NATURAL LAW?


Jean Jacques Rousseau
1754