quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Lisbon Revisited

Identifico-me tanto com Álvaro de Campos, também nascido em Tavira.
Depois pergunto-me... será que gosto da poesia dele porque me identifico com ele? Será que com a sua escrita eu decido-me a ser quem sou? num mar de possibilidades, e de pessoas que posso ser? será que esta inconstância é uma consistência ao longo do tempo?

Lisbon Revisited (1923)

NÃO: Não quero nada. 
Já disse que não quero nada. 

Não me venham com conclusões! 
A única conclusão é morrer. 

Não me tragam estéticas! 
Não me falem em moral! 

Tirem-me daqui a metafísica! 
Não me apregoem sistemas completos, não me enfileirem conquistas 
Das ciências (das ciências, Deus meu, das ciências!) — 
Das ciências, das artes, da civilização moderna! 

Que mal fiz eu aos deuses todos? 

Se têm a verdade, guardem-na! 

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica. 
Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo. 
Com todo o direito a sê-lo, ouviram? 

Não me macem, por amor de Deus! 

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável? 
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa? 
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade. 
Assim, como sou, tenham paciência! 
Vão para o diabo sem mim, 
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo! 
Para que havemos de ir juntos? 

Não me peguem no braço! 
Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho. 
Já disse que sou sozinho! 
Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia! 

Ó céu azul — o mesmo da minha infância — 
Eterna verdade vazia e perfeita! 
Ó macio Tejo ancestral e mudo, 
Pequena verdade onde o céu se reflete! 
Ó mágoa revisitada, Lisboa de outrora de hoje! 
Nada me dais, nada me tirais, nada sois que eu me sinta. 

Deixem-me em paz! Não tardo, que eu nunca tardo... 
E enquanto tarda o Abismo e o Silêncio quero estar sozinho! 

Álvaro de Campos, in "Poemas" 
Heterónimo de Fernando Pessoa 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Poemas

The Sick Rose

O Rose thou art sick. 
The invisible worm, 
That flies in the night 
In the howling storm: 

Has found out thy bed 
Of crimson joy: 
And his dark secret love 
Does thy life destroy.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Life partner.

Perguntaram ao Mooji:

What do you have to say to all the people that are searching for a life partner?

R: You don't know the lucky you are.

https://mooji.org


domingo, 11 de junho de 2017

Sonhos... vespas e caravanas.

Esta noite sonhei com vespas... montes de vespas...

Estava numa caravana a conduzir acompanhado por um amigo e de repente vi um ninho de vespas por cima das palas para proteger do sol.

Saio da caravana numa aflição quando de repente sinto uma pequena impressão a subir pelas costas, quando vou ver o que é vejo que tenho a camisa cheia de vespas.

Só me recordo ter pensado, fogo e agora não tenho aqui a injeção para dar...

Depois acordei.

Que sonho este... A caravana deve estar relacionado com a viagem que vou fazer... mas de onde vêm as vespas?


Surfing wish - iphonography

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Cenas que vou lendo ...

As long as you live, you will be subject to change, whether you will it or not - now glad, now sorrowful; now pleased, now displeased; now devout, now undevout; now vigorous, now slothful; now gloomy, now merry. But a wise man who is well taught in spiritual labor stands unshaken in all such things, and heeds little what he feels, or from what side the wind of instability blows.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Poema do dia - Presságio - Fernando Pessoa


 
 O AMOR, quando se revela,
 Não se sabe revelar.
 Sabe bem olhar p'ra ela,
 Mas não lhe sabe falar.
 
 Quem quer dizer o que sente
 Não sabe o que há de dizer.
 Fala: parece que mente...
 Cala: parece esquecer...
 
 Ah, mas se ela adivinhasse,
 Se pudesse ouvir o olhar, 
 E se um olhar lhe bastasse
 P'ra saber que a estão a amar!
 
 Mas quem sente muito, cala;
 Quem quer dizer quanto sente
 Fica sem alma nem fala,
 Fica só, inteiramente!
 
 Mas se isto puder contar-lhe
 O que não lhe ouso contar,
 Já não terei que falar-lhe
 Porque lhe estou a falar...